Juventude em Prosa

Agricultores/as e jovens discutem contexto político e a Chamada de ATER Agroecologia

Whatsapp



13/09/2016


Agricultores/as e Jovens multiplicadores/as de Agroecologia se reuniram em Tamandaré | Foto: Sara Brito/Acervo Centro Sabiá

Por Williana da Conceição Silva (Jovem Multiplicadora de Agroecologia da Comunidade de Rochedo, município de Catende) e Dilene Nicolau (Assessora Técnica do Centro Sabiá) 

No dia 6 de setembro de 2016, reuniram-se, em Tamandaré, Pernambuco, 65 agricultoras/as da Zona da Mata Sul para avaliar o 2º ano da Chamada Pública de ATER Agroecologia executada pelo Centro Sabiá e planejar o 3º ano do projeto. Contamos também com a participação de 10 jovens da Comissão de Jovens Multiplicadores/as de Agroecologia (CJMA) - 6 homens e 4 mulheres - dos municípios de Ribeirão, Catende, Joaquim Nabuco, Palmares e Água Preta. 

Esse momento foi carregado de trocas de informação e conhecimento. O dia iniciou com uma análise de contexto sobre o atual estado politico e econômico do nosso país facilitada por Avanildo Duque. Foi um momento bem participativo; vários agricultores falaram o que tem visto no atual momento de GOLPE. A agricultora Elizabete, do Assentamento Jundiá de Cima, em Tamandaré, diz que esse momento atual tem afetado diretamente a vida dos agricultores/as com os cortes dos Ministérios, os bloqueios de acesso às políticas públicas que todos nós lutamos e adquirimos com muitos esforços. Esse debate foi maravilhoso porque deu para ouvir várias opiniões de diversas pessoas: mulheres, jovens e Agricultores.  

Uma fala que fechou esse momento foi a do jovem Leandro, da comunidade de Serrinha, no município de Ribeirão. “Dormimos com nossos direitos e acordamos sem eles,” disse ele. 


"A linguagem que aqui é falada todos sabem o que significa," disse o agricultor Manoel | Foto: Sara Brito/Acervo Centro Sabiá

Além desse rico momento de debate e conversa, foram apresentadas as atividades desenvolvidas no decorrer do 2º ano do projeto da ATER, as visitas e atividades coletivas realizada em diversos municípios e comunidades das famílias agricultoras no território da Zona da Mata. O Agricultor Manoel, do Assentamento Camarão, no município de Barreiros disse: “para mim esse momento é muito importante porque existe uma troca de informação excelente entre todos que estão aqui, a linguagem que aqui é falada todos sabem o que significa. Chama-se sintonia, algo que é muito importante num coletivo”. O importante é que o planejamento das atividades que serão realizadas em 2017 pelo Projeto da Chamada de ATER foi construído pelos agricultores/as, algo estratégico e bonito de se ver. 

No planejamento das atividades os jovens tiveram a oportunidade de colocar algumas atividades a serem desenvolvidas com as juventudes, como por exemplo Seminários temáticos, Cine Comunitário e outros.  

                                                  

                                                    O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada.         

                                                                                                                                            Cora Carolina