Juventude em Prosa

Encontro Territorial – “É no semiárido que a vida pulsa, é no semiárido que a agricultura familiar resiste!”

Whatsapp



17/02/2020

Foto: Ivanildo Paulino

Encontro Territorial – “É no semiárido que a vida pulsa, é no semiárido que a agricultura familiar resiste!” 

Por Ivanildo Paulino, estudante do curso tecnólogo em agroecologia do Instituto Federal de Barreiros e jovem multiplicador da agroecologia da comunidade Camarão, município de Barreiros

O encontro foi realizado na cidade de Vertentes/PE nos dias 13 e 14/02/2020, marcado por uma feira de sabores e saberes que aconteceu no primeiro dia com a presença de vários agricultores e agricultoras trazendo seus produtos com muita alegria, amor e agroecologia. Foi bem interessante participar deste momento, contou com falas de representantes e contribuintes que ajudaram na realização do evento e a comercialização dos produtos da agricultura familiar rolou solta. A tarde foi apresentado um filme relacionado a fome trazendo uma reflexão sobre o quão esta realidade está próxima de nós. Além da reflexão e debate sobre a importância de uma alimentação saudável, a partir do consumo de alimentos que alimentam de verdade.  No final do filme, eu fiz uma fala a respeito do curso de formação da campanha permanente contra os agrotóxicos e pude falar como a campanha funciona e tem atuado, ressaltando a estratégia de fortalecimento da agricultura familiar, das juventudes camponesas e a promoção da agroecologia. Pra mim foi muito importante, enquanto jovem camponês, participar deste momento, pois pude exercitar a multiplicação da agroecologia compartilhando alternativas de agricultura e alimentação. Trazendo também a reflexão que atualmente o modelo imposto pelo agronegócio só vem suprimindo a verdadeira e ancestral agricultura, a agricultura agroecológica que é a que eu pratico e defendo diariamente.

Foto: Ivanildo Paulino

Este evento foi também o encerramento do Projeto P1+2, um programa da articulação semiárido, executado pelo Centro Sabiá. Nos momentos finais aconteceu a troca de sementes que foi bem marcante mostrando a resistência das sementes crioulas e que simboliza nossa luta por uma agricultura livre de agrotóxicos. Saí bem feliz e animado, pois é muito bom poder conviver tão próximo aos agricultores/as pois eles e elas nos presenteiam com suas experiências, com a sabedoria e a sinceridade que é transmitida no momento do diálogo da compra de seus produtos e a gente ainda leva comida que alimenta e muitos conhecimentos pra casa.