Juventude em Prosa

Juventude camponesa construindo um mundo melhor

Whatsapp

27/02/2018


Foto: André Nunes

Por Josilma Bertino (Jovem Multiplicadora de Agroecologia)

No último dia 18 de fevereiro foi realizada mais uma atividade do grupo de jovens “Crê Ser”, na comunidade do Carro Quebrado, no município de Triunfo, Sertão de Pernambuco. Desta vez iniciamos um Sistema Agroflorestal (SAF) nas margens de um riacho. O objetivo foi de recuperar as áreas de preservação permanente (APP) do Riacho do Pinga na propriedade do jovem Wevertom. Na APP já tinha algumas plantas nativas, plantamos 53 mudas (café, pinha, laranja, amora, acerola, cajueiro, azeitona, aroeira, graviola, pinheira); os cafezeiros foram plantados embaixo das árvores. 

A ideia de introduzir essas fruteiras entre as nativas é produzir alimentos e contribuir para a sustentabilidade ambiental da propriedade e autonomia financeira do jovem que produz no campo. As atividades práticas são feitas em mutirões como, a criação do viveiro, a implantação do SAF e o Cinema comunitário. Temos algumas dificuldades porque tem muitos jovens na comunidade e poucos se engajaram. O ponto positivo é que os jovens que hoje estão no grupo de fato têm feito a diferença nas ações na comunidade. 


Grupo de jovens Crê Ser implantando SAFs | Foto: Raimundo Bertino

Através do curso de formação da juventude camponesa, fruto da parceria entre o Centro Sabiá, a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e outras organizações, foi criado o Grupo de jovem Crer Ser. Esse grupo vem realizando várias atividades, entre elas: Oficina de construção do conhecimento agroecológico, roda de diálogos e conversas sobre auto-organização da juventude.  Construímos um viveiro na comunidade onde produzimos várias mudas, foram realizadas oficinas de teatro e poesia, cinema comunitário, entre outras. 

O projeto de Formação Agroecológica para Jovens Agricultores/as Familiares Camponeses/as da UFRPE em parceria com as organizações Centro Sabiá, Pastoral da Juventude Rural (PJR) e Federação dos Trabalhadores/as Rurais de Pernambuco (FETAPE), funciona assim: cada organização indica 20 jovens. O Centro Sabiá indicou 10 no Sertão e 10 na Zona da Mata; esses jovens são da Comissão de Jovens multiplicadores de agroecologia (CJMA). Cada jovem construiu um projeto e baseados nestes projetos são realizadas atividades de formação nas comunidades.