Juventude em Prosa

Juventude lutando por uma comunidade melhor, grupo de jovens formado na comunidade do Sítio Sobrado, município de Jataúba

Whatsapp



14/10/2019

Foto: Tatiane Faustino 

Por Josilma Bertino

No ultimo dia treze de outubro foram realizados diversos momentos de práticas agroecológicas na comunidade do Sitio Sobrado em Jataúba, agreste central de Pernambuco, as atividades aconteceram na propriedade da família da jovem Josilma Bertino, jovem multiplicadora de agroecologia, estudante de ciências biológicas, agricultora agroecologica e técnica em agroecologia. De início teve uma roda de conversa com apresentações dos participantes, conversamos um pouco sobre a criação de um grupo de jovens na comunidade e de quem dos presentes tinham interesse em participar, todos manifestaram o desejo de compor o grupo. E assim, ali mesmo, foi formado o grupo jovem - “juventude lutando por uma comunidade melhor”.

Falamos da importância da agroecologia na vida das pessoas, foi feita uma ligação da agroecologia com as ciências do ensino fundamental II, já que uma parte dos jovens estuda no ensino médio. Em seguida foram realizadas as práticas agroecológicas na qual implantamos algumas mudas no sistema agroflorestal - SAF, fizemos cobertura morta e irrigação com biofertilizante natural. No espaço do SAF conversamos sobre a importância da diversidade na agrofloresta e o quanto ela contribui para o bem estar da família, para os animais, para o solo e para o meio ambiente. Já em outro espaço na geodésia, que é a estufa da propriedade foi feito o substrato para produzir mudas nas quais os jovens encheram os saquinhos e plantaram as sementes, Raimundo Bertino, técnico do Centro Sabiá e que também reside na propriedade, falou da importância do substrato e os nutrientes que ele contém, explicando que são fundamentais para as mudas. A família doou uma muda para cada jovem que estava na atividade para que eles possam plantar e iniciarem uma agrofloresta em suas propriedades.

Foto: Tatiane Faustino 

Caminhamos um pouco em outro espaço da propriedade que também é uma área do SAF, na qual a jovem Josilma Bertino falou como era antes de trabalhar com agroecologia, a terra era diferente só tinha palma e uns pés de laranja. A família começou a trabalhar agroecologia com a chegada da cisterna calçadão de 52 mil litros de água. Os jovens conheceram os canteiros econômicos onde a família produz para se alimentar e quando tem muita água produzem também para comercializar, mas o objetivo principal é produzir para a alimentação da família, “é importante morar no sitio e poder produzir seu próprio alimento além de economizar dinheiro e saber de onde vem a comida que nos alimenta” diz a jovem Josilma.  

Para finalizar foram tratadas as questões do grupo de jovens, onde ficou acordado que os mesmo irão se reunir a cada quinze dias, as atividades serão realizadas nas propriedades dos pais dos próprios jovens, realizando  práticas que se adéqüem a realidade de cada um e cada uma. Para os que criam cabras será realizada a pratica de vacinação nos animais, para que os mesmos possam aprender e multiplicar. 

O jovem que vai facilitar essa atividade será um membro do grupo, e assim os demais que souberem de algumas práticas, repassam para o coletivo, também foi discutido os temas a serem trabalhados nos próximos encontros, como: agroecologia, feminismo, LGBTQI+ estatuto da juventude, cinema rural, cultura, turismo, racismo, reciclagem, e mais temas que surgirem e que julguem ser importantes para o coletivo e para sociedade, e por fim foi feita uma ciranda com todos cantando a música “mãe terra”.

É muito importante dá essa oportunidade para a juventude, assim como um dia recebemos essa mesma oportunidade de estar nos espaços e conhecer a agroecologia, temos que acreditar que os jovens querem algo bom para sua vida, e não podemos desacreditar, pois de pessoas incrédulas  já existem muitas, e nós sabemos o quanto é importante acreditarmos e darmos oportunidades.  Eu acredito na juventude.