Juventude em Prosa

Juventudes em defesa das sementes crioulas como forma de resistência!

Whatsapp



01/08/2019

Foto: Movimento Camponês Popular

Por Wanderson Rodrigues, jovem multiplicador da agroecologia, residente do município de Santa Cruz da Baixa Vede, Pernambuco.

Entre os dias 23 e 26 de julho de 2019 ocorreu na Universidade Federal do Pará, Campus Belém, o IX Seminário Nacional da Agrobiodiversidade e Sementes Crioulas, uma realização do Movimento Camponês Popular (MCP). O seminário contou com muita música, debates, reflexões e com diversos produtos agroecológicos produzidos pelos/as agricultores/as do MCP. 

Durante o encontro reafirmamos que queremos e defendemos as sementes crioulas como forma de resistência. Então se validou o compromisso da gente no combate ao uso de sementes transgênicas e uso de agrotóxicos que, inclusive, foram liberados dezenas deles no Brasil recentemente. Por isso, os/as participantes disseram em alto e bom som que defendem a barreira contra os venenos e em favor da vida. Também refletiu-se sobre a necessidade de aprofundamento de pesquisas que busquem meios naturais de controle de pragas, e que é preciso levar o debate sobre a importância das abelhas como principais autoras da agrobiodiversidade. 

Muita reflexão, proposições, análise da atual conjuntura e debates sobre agroecologia, soberania alimentar e nutricional, e tantas outras questões importantes que diz respeito ao bem viver das populações em seus territórios. Foram realizadas algumas oficinas como a de melhoramento genético de sementes, oficina de guardiões das sementes, empreendedorismo e sustentabilidade, oficina sobre cuscuz de milho crioulo, entre outras. Todas foram belíssimas e muito ricas, com bastante aprendizados e troca de saberes e sabores também. O seminário finalizou com a troca de sementes e mudas, sendo feita uma bela partilha delas, mas também do saber ancestral, dos variados sabores e da unidade da luta pela soberania alimentar e popular, a qualidade de vida e a retomada de direitos.