Juventude em Prosa

Participação da CJMA no Encontro de Parceiros de Terre Des Hommes

Whatsapp



29/08/2019

 

Foto: Comissão de Jovens Multiplicadores da Agroecologia (CJMA)

Por Felícia Panta

Entre os dias 13 e 15 de agosto, aconteceu o encontro de parceiros de Terre Des Hommes em Salvador/BA. O evento reuniu mais de 30 jovens que são apoiados pelos projetos financiados pela TDH SUISSE e TDH SCHWEIZ. Os projetos estão distribuídos nos Estados de Pernambuco, Bahia e Paraíba, trabalhando com juventudes do campo e da cidade.

O primeiro dia foi utilizado para conhecer mais a fundo o trabalho de cada uma das TDH's e de ser apresentada as linhas de atuação, história, recursos, etc... de cada uma delas. A noite aconteceu um intercâmbio cultural entre os jovens participantes do evento e jovens de coletivos da periferia de Salvador, como o JP- Jovens Periféricos, que trouxe fortes reflexões sobre o extermínio das juventudes negras, saúde, direito de viver, ação truculência da polícia, falta de acesso às políticas públicas, invisibilidade das juventudes, e muita valorização da cultura negra em forma de teatro, dança, música e desfile de moda entre outras intervenções culturais. "O intercâmbio foi muito especial porque foi uma troca de ideias que abriu os olhos de cada um que estava presente. Muito bom saber que não estamos sozinhos e que juntos, mesmo com as diferenças culturais existentes entre nós, somos mais fortes. E foi bacana ver também a articulação e empoderamento das juventudes. Que tenham mais propostas de intercâmbio para mais partilhas como estas que estão acontecendo aqui", diz Alexandre Castro, integrante do movimento Juventude Negra e Participação Política e do coletivo incomode, assessorados pela Cipó.

Foto: Comissão de Jovens Multiplicadores da Agroecologia (CJMA)

O segundo dia foi para cada organização apresentar seus projetos, linhas de atuação, público alvo e resultados. Porém os participantes se deparam com um desafio, apresentar utilizando de desenhos/imagens. Os desenhos foram feitos e apresentados aos participantes, ao final foi partilhado sobre as semelhanças das nossas ações. E percebemos que temos várias questões que nos unem em vários aspectos como a educação contextualizada, produção agroecológica, respeito a diversidade, empoderamento das mulheres e das juventudes, soberania a segurança alimentar, inclusão de povos tradicionais, fortalecimento e resgate da identidade, e combate a violência.

O terceiro e último dia foi feito uma reflexão sobre “de que forma a vida das juventudes vem sendo ameaçada?” e “como estamos resistindo a essas ameaças?”. A partir dessa reflexão percebemos que a juventude está lutando pelas mesmas ideias, lugares e perspectivas de vida, independente do lugar que elas se encontram, seja campo ou cidade. E por esta oportunidade somos muito gratos, Eu Felícia e Adilson, jovens camponeses que participamos do encontro mostrando e trocando sobre nossas vivências em nossos territórios. Fomos representando a Comissão de Jovens Multiplicadores/as da Agroecologia (CJMA) e lá pudemos mostrar um pouco da atuação que este coletivo vem fazendo no estado de PE, mudando vidas, mudando histórias, mudando destinos!