Juventude em Prosa

Participação das Juventudes no IV ENA

Whatsapp



19/06/2018

Por Ferreira Lima*

O jovem Gildo, da CMJA, durante a plenária das Juventudes – IV ENA

 

Entre os dias 31 de maio a 03 de junho de 2018 a cidade Belo Horizonte,  capital de Minas Gerais, abriu as porta para receber um grande evento que reuniu todo o Brasil, em defesa da agroecologia e da democracia. E, também, em defesa dos pequenos agricultores e camponeses, que foi o IV Encontro nacional de Agroecologia (IV ENA). 

 O IV ENA  trouxe a Belo Horizonte várias vivências dos agricultores,  dos povos tradicionais e jovens  de todos os estados do Brasil. De Pernambuco, especialmente da Zona da Mata, trouxe uma instalação pedagógica mostrando a mão de obra escrava da  cana-de-açúcar e as tragédias que Pernambuco vem vivendo  com o complexo de Suape.

A Comissão de Jovens  Multiplicadores da Agroecologia (CJMA) também estava presente no IV ENA. Na caravana de jovens que foi ao IV ENA,  havia jovem que já estava participando desse encontro pela terceira vez. A CJMA trouxe na sua bagagem vários avanços e dificuldades enfrentadas pelas juventudes do campo.

Zona da Mata apresentou instalação pedagógica sobre a Mata Sul e Suape

 

Contexto da Região

Pernambuco tinha muitas usinas de  cana-de-açúcar e a maioria dos engenhos onde grande parte dos agricultores tinha que trabalhar pra elas, e não para si próprio. Como era a única fonte de renda que os agricultores tinham, eles eram praticamente obrigados a trabalhar para as usinas. Hoje, a maiorias das usinas fecharam, mesmo assim muitos ainda saem de suas comunidades para trabalhar em outras cidades, ou estados. A instalação da Mata sul trouxe esse contexto e fez a denúncia desse marco histórico de Pernambuco. 

A Região Metropolitana do Recife fez o alerta sobre os problemas causados por Suape. A empresa está acabando com os mangues e expulsando  os moradores de suas comunidades. Muitos sobrevivem do mangue, da pesca de caranguejos e outros frutos do mar, mas com Suape  tudo isso está se acabando. A  grande  parte do  mangue já está morto. Nas praias muita gente vem sendo atacada por tubarões, porque ao instalarem Suape acabaram com o estuário deles. Além disso, Suape veio com proposta de emprego para aquela região, só que foi tudo ao contrário do que era a proposta. Suape só veio para matar e acabar com as comunidade que sobrevivem da pesca de mariscos e caranguejo.

Meu depoimento por ter participado do IV ENA: “Pra mim, foi muito gratificante aprende para multiplicar nas bases. Vê  que nessa luta eu não estou só, que o Brasil todo está querendo juntar o campo e a cidade em prol da agroecologia, que é o que realmente interessa pra nós da Comissão de Jovens. E representar a Comissão no ENA é de um orgulho imenso, porque está dando visibilidade as juventudes camponesas que é vista pela grade população que os jovens não quer nada com isso, que não quer trabalhar. Mostramos para esse povo que ele tá enganado, a gente tá aqui mostrando que trabalhamos e que vamos ocupar nosso espaço.” 

“Juventude que ousa lutar, constrói o poder popular.”

 

Ferreira Lima faz parte da Comissão de Jovens Multiplicadores da Agroecologia. Ele é do município de Catende – Zona da Mata Sul de Pernambuco