Notícias

“Agroecologia é a Agricultura do Futuro”

Whatsapp



19/10/2018

Por Rivaneide Almeida

Na Semana da Alimentação o território do Sertão do Pajeú realizou debate com o tema Agroecologia enquanto estratégia no combate à fome. O debate fez parte do 1º Encontro da Rede Pajeú de Agroecologia, realizado em Triunfo – PE, dia 16/10. O painel com a participação da professora Sônia Lucena que é membro do Consea/PE e sócia do Centro Sabiá, e LucenirSilva, assessora da Fetape. O Encontro reuniu cerca de 80 pessoas, em sua maioria agricultores e agricultoras além de representantes de organizações de assessoria, associações e movimento sindical. No debate, a preocupação com a ameaça do retorno da fome ao nosso país, com especial gravidade para o Semiárido nordestino.

A professora Sônia Lucena chama a atenção da quantidade de pessoas que já passam fome no mundo.“Atualmente, oito milhões de pessoas morrem de fome, por ano, no mundo e o motivo não é a falta de alimentos, mas entre as principais causas estão: a concentração de renda, a pobreza, a concentração de produção, a cultura do desperdício e eventos climáticos”, informa Sônia. Nesse contexto,  a Agroecologia surge enquanto proposta de enfrentamento a esse mal, produzindo alimentos saudáveis e construindo dinâmicas de vida com justiça social e a prática de uma economia solidária e sustentável.“ AAgroecologia é a agricultura do futuro, a alternativa para o enfrentamento da fome e da miséria”, destaca a professora.

Já a assessora da Fetape, Lucenir Silva enfatiza que a fome só interessa a um grupo. “A fome interessa aos poderosos e ao capital, pois é instrumento de manutenção da submissão do povo”, afirma Lucenir.  Neste momento de tantas incerteza e ameaças de direitosno Brasil, é preciso de atenção redobrada, especialmente pela sociedade organizada que defende os direitos dos mais pobres. Não se pode permitir retrocessos nas conquistas adquiridas ao longo das lutas travadas pelas organizações. Esse é o momento de resistir e defender a democracia de forma articulada, coesa e com todo o amor emanado das práticas agroecológicas.

A Rede Pajeú de Agroecologia - surge enquanto espaço de articulação, em defesa de um território agroecológico, que preserve seus riachos e o Rio Pajeú, promovendo o diálogo entre campo e cidade a partir de iniciativas e práticas agroecológicas já experimentadas e em andamento, que são bases importantes para a construção de propostas e políticas de convivência com o semiárido. Como exemplo dessas iniciativas o território conta hoje com seis feiras agroecológicas em funcionamento, mesmo passando por um longo período de estiagem.