Notícias

Encontro no Agreste contribui para segurança alimentar e combate ao coronavírus

Whatsapp



21/05/2020

Foto: Darliton Silva / Acervo do Centro Sabiá

Encontro no Agreste contribui para segurança alimentar e combate ao coronavírus

Por Darliton Silva, comunicador popular do Centro Sabiá

Entre 13 e 14 de fevereiro, aconteceu na cidade de Vertentes, Agreste de Pernambuco, o Encontro Territorial – É no Semiárido que a vida pulsa, é no Semiárido que a agricultura familiar resiste. O evento celebrou junto aos agricultores, agricultoras e parceiros o encerramento de mais uma etapa do Projeto Uma Terra e Duas Águas (P1+2) da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), executado pelo Centro Sabiá com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Ministério da Cidadania (MC). O projeto envolveu 201 famílias dos municípios de Vertentes e Santa Maria do Cambucá, instalando cisterna-calçadão de 52 mil litros, tecnologia de captação e armazenamento de água para produção de alimentos e criação de animais e acompanhamento técnico. Além das cisternas, 69 famílias receberam o recurso financeiro de fomento, um investimento para fortalecer a atividade produtiva e melhorar a infraestrutura da propriedade.

O encontro oportunizou a troca das experiências entre as famílias agricultoras. Promoveu debate sobre os impactos dos agrotóxicos, potencialidades produtivas e mudanças nos agroecossistemas das famílias a partir do acesso às políticas públicas de convivência com o Semiárido. A realização de uma feira agroecológica possibilitou aos moradores, alunos e autoridades do município de Vertentes conhecerem os produtos da agricultura familiar produzidos com amor e sem veneno, e comercializados pelos agricultores e agricultoras.

A feira de Sementes Crioulas foi um momento de emoção entre os participantes, com a troca de sementes e conhecimentos entre as agricultoras e agricultores. Uma das sementes compartilhadas foi o milho esteque, uma variedade de milho que há 70 anos é guardada pela família do agricultor Edmilson Morais. 

Alexandre Pires, coordenador geral do Centro Sabiá, coordenador executivo da ASA e membro do Núcleo Executivo da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), falou sobre a importância dos 20 anos da ASA. Iniciativa que há 20 anos vem transformando em realidade o sonho de milhares de famílias camponesas do Semiárido brasileiro de ter água potável e para produção de alimentos, “a ASA já construiu 1,1 milhão de cisternas para consumo humano, 200 mil cisternas para produção de alimentos, 6,9 mil cisternas nas escolas e mais de 1 mil casas de sementes crioulas. Essas iniciativas são resultado de luta dos trabalhadores e trabalhadoras para garantir o direito de ter água em casa”, afirmou Alexandre.

Diante do contexto da pandemia global do novo Coronavírus, esse projeto gerou uma importante oportunidade com a melhoria nas infraestruturas agrícolas e processo de formação para as famílias, promovendo a produção de alimentos saudáveis e a geração de renda para as 201 famílias. Essa perspectiva pode garantir maiores condições para a superação desse momento.