Notícias

Lançamento do ENA, homenagem a Jones e Campanha pela Divisão Justa do Trabalho

Whatsapp

22/11/2017

Por Thais Queiroz. Fotos: Pedro Araujo/Acervo Centro Sabiá

Além do debate sobre os avanços da agroecologia em Pernambuco, o Seminário Caminhos para a Sustentabilidade também foi espaço aberto para debates locais e nacionais. Foi apresentada em primeira mão a quarta edição do Encontro Nacional de Agroecologia (ENA). A novidade foi apresentada por Alexandre Henrique Pires, coordenador geral do Centro Sabiá (PE), Carlos Eduardo Leite, do Sasop (Serviço de Assistência a Organizações Populares Rurais) e Maria Verônica Santana, do Movimento da Mulher Trabalhadora do Nordeste (MMTN).

O ENA acontecerá entre os dias 31 de maio e 3 de junho em Belo Horizonte (MG) e terá como lema "Agroecologia e democracia unindo cidade e campo". A última edição ocorreu em 2014 na cidade de Juazeiro (BA). 

"Agroecologia não é governo nem fruto de uma política. Ela é tudo o que construímos sobre enfrentar ameaças ao nosso território", avalia Verônica Santana. Já Carlos Eduardo acredita que encontros como o ENA são importantes para consolidar a agroecologia na pauta das políticas públicas nacionais. “Nós temos um projeto político maior, que é transformar o campo e a cidade e fazer do Brasil uma nação mais democrática e justa”, afirma. 

O lançamento da campanha pela Divisão Justa do Trabalho Doméstico foi outro destaque. Promovida pela Rede de Mulheres e Agroecologia do Nordeste, a iniciativa quer mostrar que as mulheres merecem dividir de forma igual as atividades do lar com os esposos. 

Em muitos lares do Brasil a mulher é responsável pela maior parte do trabalho doméstico e de cuidados, acordando antes de toda a família para cuidar da casa, das pessoas, dos animais e até da comunidade. É preciso uma mudança de atitude, onde as decisões familiares sejam compartilhadas igualmente. "Temos que discutir esse assunto. Direitos são para mulheres e homens, responsabilidades também", afirma Verônica Santana, do MMTN. 

Foram distribuídos panfletos e cartazes, para os agricultores e agricultoras, orientando como eles podem conversar sobre esse assunto, para que juntos possam fazer uma realidade melhor para as mulheres. 

Momentos de emoção também marcaram o Seminário. Talvez o maior deles tenha sido a homenagem à Jones Severino Pereira, um dos pioneiros da agroecologia em Pernambuco. Ele partiu em maio de 2017, mas seu legado segue mais vivo do que nunca. Um curta especial sobre sua missão, O Triângulo da Vida, foi apresentado. Após isso, agricultores fizeram uma caminhada silenciosa pelo salão, levando consigo símbolos que representam o trabalho de Jones.

Sua esposa, Lenir Pereira, teve a honra de plantar um pé de pau-brasil no terreno do Centro de Educação Paulo Freire. "Nem sei o que dizer pessoal… Tudo que vocês fizeram por nós… Fico sem palavras", disse Lenir, que segue o trabalho iniciado ao lado do esposo no Sítio São João, em Abreu e Lima, e na Feira das Graças da Rede Espaço Agroecológico. 

A luta continua!