Notícias

SISTEMAS AGROFLORESTAIS DE BASE AGROECOLÓGICA

Whatsapp



13/01/2020

Foto:Foto: Ana Lira / Acervo do Centro Sabiá 

Por Ivanildo Paulino da Silva, jovem multiplicador da Agroecologia, agricultor residente no Assentamento Camarão e estudante do curso tecnólogo em agroecologia no IFPE Barreiros.

Sistemas agroecológicos como SAF são cada vez mais estudados, expandidos e correlacionados com a agricultura familiar. Tais sistemas facilitam a recuperação das áreas degradadas bem como a produção de cultivos diversificados (alimentares e biocombustíveis) e a geração de incumbências ambientais como infiltração d’água, aumento da matéria orgânica e da biodiversidade, sendo considerados como importantes fixadores de Carbono. Assim, as áreas onde existem SAFs consequentemente são mais sustentáveis que áreas de monoculturas, uma vez que apresentam maior biodiversidade de espécies, sendo semelhantes às florestas, de tal forma mantendo a fertilidade do solo em decorrência da ciclagem de nutrientes. Esse modo de produção pode ser desenvolvido de diversas formas e o mais legal é que ele valoriza as relações entre as pessoas (família e comunidade), a preservação do ambiente, do solo, a produção de alimentos saudáveis e sem venenos e tantos outros aspectos positivos.

A Agrofloresta tem mudado minha história, trazendo uma diversidade de vantagens e benefícios que melhoram minha vida e meu modo de produção. Ela tem proporcionado geração contínua de renda para minha família, também tem diversificado a produção no nosso agroecossistema familiar, tem aumentado a diversidade vegetal e, consequentemente, aumentado à quantidade de micro-organismos no solo, melhorando, ainda, a infiltração de água no solo, realimentando o lençol freático, recuperando nascentes, produzindo uma grande quantidade de matéria orgânica no solo, recuperando assim sua fertilidade, além da incrível capacidade de sequestrar e estocar carbono.         

O Centro Sabiá realizou uma pesquisa em duas feiras agroecológicas na cidade do Recife, mostrando que 28% das famílias agricultoras que lá comercializam possuem uma diversidade média de 29 produtos diferentes por banca, sendo uma diversidade total de 114 itens diferentes que são disponibilizados aos consumidores. Essa mesma pesquisa demonstrou que apenas duas feiras movimentam cerca de R$ 1,8 milhões por ano. Por isso, a importância das feiras agroecológicas nas cidades, onde nós, enquanto jovens, podemos comercializar os produtos dos nossos SAFs contribuindo para que tenhamos a nossa própria renda e assim a gente consiga permanecer no campo com condições e meios de vidas sustentáveis.

SAIBA MAIS SOBRE A PESQUISA: https://issuu.com/centrosabia/docs/preco_dos_alimentos_agroecologicos