Centro Sabiá lança o seu Calendário 2015

Com o tema sementes e fazendo a pergunta “Qual semente você planta no mundo?”, o Centro Sabiá quer refletir sobre a importância das famílias agricultoras, guardiãs de grande diversidade de material genético, e sobre o que queremos semear em 2015.

Por Alex Carvalho (Centro Sabiá)

Chegou 2015 como um novo ano para refletirmos e criarmos expectativas para um futuro melhor, galgado em um novo jeito de encararmos a terra e o que nela é produzido. Corroborando esse desejo, o tema escolhido para o calendário anualmente produzido pelo Centro Sabiá foram as sementes crioulas, ou seja, as sementes puras, aquelas que não sofreram intervenções genéticas. Aquelas sementes que não são transgênicas.

Alexandre Henrique Pires, coordenador geral do Centro Sabiá, explicou o significado da temática desse ano: “O calendário 2015 do Centro Sabiá propõe uma reflexão para a sociedade sobre qual semente nós estamos plantando no mundo. E esse tema é importante para reflexão sobre as nossas ações: tanto como sujeitos, tanto como coletivos na defesa dos direitos humanos, do meio ambiente, das mulheres, dos jovens.”

Uma das propostas apresentadas pelo Calendário 2015 do Centro Sabiá foi a troca de sementes. Famílias dos três territórios de atuação do Centro Sabiá (Zona da Mata, Agreste e Sertão) gentilmente cederam algumas de suas sementes crioulas para a confecção do calendário. Quem receber o calendário, também receberá um envelope contendo algumas sementes crioulas e um cartão com informações sobre essas plantas. Graviola, sabiá, milho branco, feijão vermelho, baraúna, pitanga, fava e milho-dente-de-cavalo foram as espécies de sementes escolhidas.

Engana-se quem pensa que é fácil confeccionar um calendário. A preparação começou ainda no mês de setembro com as primeiras reuniões para discutir o tema, entre outros detalhes, e em outubro deu-se início ao processo de oficinas. Vânia Luiza, integrante da equipe administrativa do Centro Sabiá, fez parte da equipe que pensou o calendário. “O resultado ficou lindo. O tema agradou a todos. E principalmente contemplou os agricultores, aqueles que armazenam as sementes em bancos. Eles viram a sua preocupação reconhecida”, afirma Vânia.

“O tema das sementes também é importante para nós porque dá visibilidade à ameaça que as sementes crioulas vêm sofrendo com o grande avanço da transgenia. A semente transgênica não só significa danos à saúde. Falar de transgênico é falar sobre: agronegócio, sobre latifúndios e sobre agrotóxicos. As sementes seguem junto ao calendário para, simbolicamente, ajudar as pessoas a perceberem a importância da preservação das sementes crioulas, na preservação da identidade e do conhecimento que essas sementes detém”, explica Alexandre.

A tiragem do calendário 2015 foi de 3.000 exemplares e a ilustração é de autoria de João Lin, artista visual com atuação na produção de quadrinhos, cartum, ilustração, videoarte e intervenção urbana.

Para que todos e todas possam compartilhar o crescimento das sementes, criamos a hashtag #sementeSabia, que pode ser usada nas redes sociais. E no nosso site é possível ver mais informações e fotos de cada família que doou suas sementes para serem partilhadas junto com o calendário.

« Voltar